Histórico dos 50 anos do Movimento de Cursilhos de Cristandade da Arquidiocese de Campo Grande Mato Grosso do Sul.

Jubileu de Ouro (1968 – 2018)

“A Serviço da Evangelização”

Toda história começa sempre com o “Era uma vez”… Assim também, a nossa não poderia ser diferente das outras. Por isso, “Era uma vez um grupo de leigos, assistidos pelo Pe Paulo Devim, nosso primeiro Diretor Espiritual, que decidiu trazer para nossa cidade o M.C.C. Com esse propósito, o grupo entrou em contato com a Diocese de Mogi das Cruzes SP, a fim de que o Cursilho fosse implantado em Campo Grande-MS.

Pioneiros – Desse grupo, uns fizeram o seu Cursilho em Monte Alegre-PR: João Vieira (in memorian), Flaviano Lugo e Lúcio de Castro, de 25 a 28.1.1968. Outros em Piracicaba-SP, de 31.10 a 3.11: Venâncio de Morais e Barnabé Pavão. Mário Bernobich fez em Bauru-SP, em março de 1968, juntamente com Izidoro Benitez. Também participaram desse evento as senhoras: Íria N.Vieira, Irmã Godoliva e Audite Pavão, de 14 a 17.02.1968 em São Paulo-SP; Cirene da Costa Vany, Lígia Lugo e Neuza de Castro, de 12 a 15 de março de 1968, também em São Paulo-SP.

Primeiro Cursilho – O primeiro Cursilho para homens de Campo Grande foi dirigido por uma Equipe composta por cursilhistas de Mogi das Cruzes-SP e por alguns cursilhistas locais, que haviam feito seu Cursilho fora do nosso estado. Teve como Diretor Espiritual o Pe Xavier Saez de Ibarra-SP e como Sacerdotes-Assistentes D. Antônio Barbosa (in memorian), Bispo Diocesano na época, Pe Paulo Devin, Pe Tiago Small, Pe Estevão Szegethy, Pe Tomáz Ghiraldelli, Frei Teodarto Leitz e Pe Tomé Joyce. Tempos diferentes dos atuais, pois na ocasião, havia mais sacerdotes disponíveis, o que facilitava os trabalhos.

De Mogi das Cruzes vieram: Angel Paloméro (Reitor) e os cardeais Sérgio Costa, Nélson da Cruz, Adilson Antônio Zacarias, Frederico José Strawbe, Hélio Vieira, Sílvio Marreiro e José Maria Adib.

Podemos imaginar quanto esforço, espírito de oração, sacrifício, coragem e fé foram exigidos desses que nos antecederam para que se iniciasse uma nova caminhada da Igreja em nossa Diocese, lançando assim na terra fértil da “Cidade Morena” a semente que iria, através dos tempos, apesar dos naturais obstáculos, chegar até nossos dias.

Foi em Campo Grande, pois, o marco inicial do Movimento em todo o Estado de Mato Grosso, então ainda indiviso.

Custou, por certo, mas valeu a pena lutar em prol desse objetivo, que é o de tornar Cristo mais conhecido, amado e servido.

Depois de todo o preparo, de seguidas reuniões, ficou decidido que o primeiro Cursilho seria realizado de 4 a 7 de julho de 1968.

E assim aconteceu, e então, tudo começou…

Vale a pena lembrar que Cristo reuniu para iniciar sua missão 12 apóstolos. Nós, na época, já éramos 29 candidatos para também evangelizar os nossos ambientes, dando assim cumprimento à finalidade maior do Movimento.

Constaram da primeira turma de cursilhistas, as seguintes pessoas: José Oliva Filho, Porfírio Wilson dos Santos, Bernardo Baís Neto (Dick), Nilveo Rondon Campeiro, Arthur D’Avila Filho, Cláudio Fragelli, Carmelito Rezende, Ademar Barbosa, Fernando Vasconcelos, Dudulo Anunciato, Newton Enciso de Freitas, João dos Santos Moreira, Júlio Lugo, Justino Mendes Leal Aquino, Michsov Novak, Alady Francisco Olarte, Afro Puga, Benedito Ferreira da Silva, Francisco Bertoni, Odeval Espíndola, Benedito Canteiro, Donato Ribeiro, João Onofre Macedo, José Calendário Ferraz, Nélson Gomes Cavalcanti, Frede Lucareli Rodrigues, José Gildásio Pessine, Mathias Lebe e Nilo Pereira.

No segundo Cursilho, realizado de 31.10 a 3.11.1968, alguns já trabalharam como Cardeais: Dick, Wilson, Ávila, Mendes, Fernando Vasconcelos e Nílveo.

Caminhada – E o que representa essa caminhada?

Hoje, passados 50 anos (Jubileu de Ouro), marca a perseverança, coragem e trabalhos, pois muitos foram os desafios enfrentados para continuar anunciando a Boa Nova de Jesus, cumprindo, assim, a finalidade primeira do nosso movimento que é a Evangelização dos Ambientes.

Nessa jornada é justo salientar a participação de todos aqueles que tiveram a responsabilidade e, por que não dizer, também, a felicidade e o privilégio de conduzir os passos e o destino de nosso Movimento em Campo Grande, juntos numa mesma equipe.

Órgão Diretivo – O Órgão Diretivo mudou de denominação. Primeiro era chamado, de Secretariado, mais tarde de Núcleo Básico Coordenador (N.B.C.) e agora Grupo Executivo Diocesano (GED). A terminologia é diferente, mas o propósito de servir o Movimento é o mesmo, pois continua existindo igual entusiasmo, entrega, e espírito de caridade.

 

Relação dos Presidentes e seus respectivos Diretores Espirituais nas diversas etapas, Secretariado, NBC, GED, nesses 50 anos.

1968

Foi implantado em Campo Grande o Movimento de Cursilhos de Cristandade, com uma junta Administrativa com as seguintes pessoas:

Presidente: Bernardo Baís Neto
Diretor Espiritual: Dom Antônio Barbosa (Bispo Diocesano)

1969 a 1971

Presidente: Bernardo Baís Neto
Diretor Espiritual: Pe Paulo Davim

1972 a 1973

Presidente: Porfírio Wilson dos Santos
Diretor Espiritual: Pe Jorge Roux

1974 a 1975

Presidente: Jorge Rahe
Diretor Espiritual: Pe Jorge Roux

1976 a 1977

Presidente: Sérgio Gonçalves de Sá Earp
Diretor Espiritual: Pe Jorge Roux

1978 a 1979

Presidente: José Maria de Paula Pardo
Diretor Espiritual: Pe Armando Russo e Pe João Falco

1980 a 1981

Presidente: Osmar Luzio
Diretor Espiritual: Pe João Falco

1982 a 1983

Presidente: Porfírio Wilson dos Santos
Diretor Espiritual: Frei Alfredo Sganzella e Pe José May

1984 a 1985

Presidente: Fernando Garcia de Araújo
Diretor Espiritual: Pe José May e Pe Jorge Roux

1986 a 1987

Presidente: José Maria de Paula Pardo e deu continuidade ao mandato, Porfírio Wilson dos Santos.
Diretor Espiritual: Pe Jorge Roux e Pe Eugênio Sullivan

1988 a 1989

Presidente: João Faustino de Lima
Diretor Espiritual: Pe Eugênio Sullivan

1990 a 1991

Presidente: Ivan Saab de Mello
Diretor Espiritual: Frei Alfredo Sganzella

1992 a 1993

Presidente: Dejair B.N. de Leles
Diretor Espiritual: Frei Alfredo Sganzella

1994 a 1995

Presidente: João Faustino de Lima
Diretor Espiritual: Pe Joselito de Oliveira

1996 a 1997

Presidente: Antônio Gomes Flores
Diretor Espiritual: Pe Joselito de Oliveira e Pe Geomar

1998 a 1999

Presidente: João Faustino de Lima
Diretor Espiritual: Pe José Soares da Silva

2000 a 2003

Presidente: Luiz Batista Sguissardi da Rosa
Diretor Espiritual: Pe José Soares e Pe Ubiratã Alves da Silva (Bira)

2004 a 2006

Presidente: Luiz Natal
Diretor Espiritual: Pe Emilson José Bento

2007 a 2008

Coordenador: Antônio Gomes Flores
Diretor Espiritual: Pe José Soares da Silva e Pe Wagner C. Soares

2009 a 2010

Coordenador: Carlos Alberto Motta dos Santos
Diretor Espiritual: Dom Vitório Pavanello

2011 a 2012

Coordenador: Carlos Alberto Motta dos Santos
Diretor Espiritual: Dom Vitório Pavanello

2013 a 2014

Coordenadora: Ana Clara Sobral Borges
Diretor Espiritual: Dom Vitório Pavanello

2015 a 2016

Coordenador: Adjanir Pereira da Fonseca
Diretor Espiritual: Dom Vitório Pavanello

2017 a 2018

Coordenador: Marcos Luiz de Oliveira
Diretor Espiritual: Dom Vitório Pavanello

A Mulher no Movimento – O nosso Movimento teve a participação de muitas mulheres que fizeram parte das Equipes que formam nosso Órgão Diretivo, e como Coordenadoras do GED tivemos duas: Dejair Barbosa e Ana Clara Sobral Borges. Isso mostra o reconhecimento, a valorização e a presença da mulher em nosso trabalho.

Todos, sem distinção, homens e mulheres, muito fizeram em prol do crescimento e da continuidade do Movimento em Campo Grande.

E, nada, nessa caminhada aconteceu por acaso e muito menos de um momento para outro, como caído do “Céu”. Tudo foi feito com muito trabalho e perseverança, numa soma de forças. O que existe hoje, não vamos nos esquecer, começou há 50 anos e foi crescendo, paulatinamente.

Grupo Executivo Regional (GER) – Mas falando da história do Movimento não podemos deixar de nos referir a mais um órgão de serviço ao Movimento, que é o Setorial, hoje com a denominação de Grupo Executivo Regional (GER), servindo de ligação entre os diversos Grupos Executivos Diocesanos (GED) de uma determinada região e o Grupo Executivo Nacional (GEN).

O nosso GER atende o Regional Oeste I, do qual fazem parte os GEDs de Campo Grande, Três Lagoas, Coxim, Dourados e Naviraí.

Os que estiveram à frente do GER em Campo Grande foram: Dick, Wilson, Fernando Vasconcelos, Milton Miranda, Manuel Lima de Medeiros, Sérgio Sá, José Maria de Paula Pardo, Antônio Gomes Flores (Toninho), Marco Aurélio, Luiz Batista Sguissardi da Rosa, Veriato Vieira Lopes. E o atual coordenador é Carlos Alberto Pironcelli (Cadu).

Até aqui tratamos tão somente de Cursilhos para homens…

Cursilho Para Mulheres – O primeiro deles foi realizado no Instituto Imaculada Conceição, próximo ao Centro de Formação Cristã João Paulo II – Casa de Cursilhos, de 10 a 13 de abril de 1969, com a participação de 36 candidatas.

Números de Cursilhos – Até hoje foram realizados 143 Cursilhos para homens, 139 Cursilhos para mulheres e 55 Cursilhos para jovens.

Algumas mulheres fizeram o seu encontro em São Paulo, antes da realização do primeiro de Homens em Campo Grande. Entre elas podemos citar, Cirene da Costa Vany, Íria Vieira, Irmã Joana, Irmã Godolina, Audite Pavão, Lígia Lugo, e Nena A. de Castro.

Outras mulheres que participaram de Cursilho fora de Campo Grande, após a realização do primeiro Cursilho para Homens e antes do primeiro Cursilho para Mulheres, em nossa cidade, foram: Clarinda Mendes, Lila Baís, Célia Faria dos Santos, Honorina Bernobich, Aparecida D’Ávila, Maria Auxiliadora, Margot Rondon, Gilda Vasconcelos, Terezinha Arruda, Annazuia Sá Earp, Zuleika de Oliveira e Marlene de Oliveira.

Após o primeiro Cursilho para Mulheres em Campo Grande, ainda fizeram, fora, as seguintes senhoras: Maria M.C. da Costa, Maria Luiza da C. Costa, Erlita Palhano, Cenira Caldas, Dirma Elisa Soares, Tereza Medeiros e Irene Silva.

Meios de Perseverança na fase do Pós Cursilho – É importante registrar e para não ficarmos somente nos três dias de Cursilho, que o Movimento na fase do Pós nos oferece meios para facilitar a nossa perseverança na vida cristã: Escola, Reunião de Grupos (Núcleos de Comunidade Ambiental), Ultreya, Embarque, Encerramento, Dias de Formação e de Reflexão, Assembleias, Caminhada, Vigília, entre outras tantas.

Escola Vivencial de Formação – Hoje, a nossa Escola de Formação acontece toda segunda-feira, das 20 às 22hs, na Casa de Cursilhos, situada à Rua do Seminário, 2.055, Jardim Seminário, mas já passou por vários lugares. O primeiro deles nos porões da antiga Igreja Santo Antônio, onde ficou por muitos anos. Mais tarde, no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, na Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Capela Dom Bosco (atual Paróquia São João Bosco).

A Escola Vivencial de Formação é um instrumento de Evangelização e Catequese para adultos e jovens.

A nossa Escola de Formação carinhosamente chamada de “Escolinha”, oferece uma Formação Integral:

*Espiritual

*Doutrinal

*Social

*Valores Humanos

A Escola de Formação é o “Coração do M.C.C.” e se baseia no tripé:

Oração, Formação e Ação.

Cursilho para Jovens – Em 1992, alguns jovens de Campo Grande, movidos pelo Espírito Santo, sentiram necessidade de implantar o Cursilho para Jovens aqui em sua cidade e foram até Campinas-SP, para participar do 16º Cursilho para Jovens de lá.

As expectativas foram ultrapassadas e assim nasceu em Mato Grosso do Sul, o 1º Cursilho para Jovens, chamado “A Semente”, em julho de 1992, destinado a jovens de 18 a 29 anos de idade. A logomarca desse cursilho foi criado e desenhado por Ana Clara Sobral Borges.

Todos os sábados, os jovens se reúnem e participam da Escolinha, para que tenham uma formação necessária para continuar evangelizando os ambientes onde vivem: família, escola, trabalho…

As reuniões são sempre às 17 horas com duração de 2hs e algumas são abertas e podem receber jovens não-cursilhistas.

O Cursilho para Jovens em Campo Grande-MS, além dos retiros, realiza diversas atividades para ajudar algumas Entidades Filantrópicas. Muitos jovens prestam serviço apostólico nas Paróquias, nas Pastorais Litúrgicas, Missionárias, Catequéticas, Campanhas de Natal e outras.

Decolores – Com o objetivo de atingir os adolescentes, filhos de cursilhistas, foi criado em outubro de 1993, o primeiro retiro para adolescentes em Campo Grande-MS, que recebeu o nome de “Decolores.”

A Escola do Decolores acontece todos os sábados às 17hs e conta com a participação dos “tios” Cursilhistas que acompanham esse grupo de adolescentes.

O Decolores, para meninos e meninas de 14 a 17 anos de idade, quer não só conscientizá-los da verdade Cristã, como também fazer que as famílias se tornem unidas em nome de Jesus.

Sede do Movimento – Os Cursilhos em nossa Arquidiocese são realizados no Centro de Formação Cristã João Paulo II – Casa de Cursilhos, que recebeu em 20 de dezembro de 1989 a Bênção Apostólica de Sua Santidade, o Papa João Paulo II.

O MCC assumiu, praticamente sozinho, a responsabilidade de cuidar e zelar do prédio (antigo Seminário Diocesano) que a Diocese, à época, cedeu ao Movimento por tempo indeterminado, para que ali se estabelecesse a sua sede.

Posteriormente esse antigo prédio foi dividido, tendo a Cúria Metropolitana destinado metade dele para a Policia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul (CEFAP), em regime de locação, e a outra permanecido, até hoje como Casa de Cursilhos.

Quem acompanhou a trajetória do Movimento, nesses 50 anos, pode avaliar, de fato, o que teve de ser realizado para que se pudesse preservar o que foi construído neste espaço de tempo.

Outras Dioceses – Para implantar o MCC em diversas cidades de MS e também do MT, saíram de Campo Grande equipes para: Dourados, Rio Brilhante, Maracaju, Aquidauana, Corumbá, Rio Verde e Coxim. Em Mato Grosso, o Cursilho foi implantado em Cuiabá, Guiratinga e Rondonópolis.

Agradecimentos – Não poderíamos terminar esse breve histórico, deixando sem registro o nosso profundo agradecimento a Dom Antônio Barbosa (in memorian), Arcebispo de nossa Arquidiocese, grande incentivador e amigo de todas as horas da caminhada do MCC e de quem sempre recebemos palavras de carinho para com nosso trabalho.

Dom Antônio foi uma presença constante e marcante em todos os Movimentos Leigos sem distinção ou preferência, tratando-os com igual deferência, prestigiando a todos no lugar que cabe a cada um no contexto da Igreja de Campo Grande.

E somos, de fato, privilegiados, pois temos a felicidade de continuar contando com a amizade e o estímulo por parte do seu sucessor Arcebispo Emérito Dom Vitório Pavanello e do nosso atual Arcebispo Dom Dimas Lara Barbosa.

Agradecemos ainda, de coração, aos nossos sacerdotes que, de uma forma ou de outra, sempre estiveram ao nosso lado, nesses 50 anos, contribuindo para que o Movimento pudesse prosseguir em seus objetivos.

Plano de Deus – Não podemos de forma alguma ter a pretensão de sermos os melhores, apenas nos reconhecemos, isto sim, como mais um instrumento nas mãos do Senhor, na realização do Plano de Deus e na implantação do seu reino, junto aos demais Movimentos em nossa Arquidiocese, nos esforçando para que haja a mais perfeita integração e respeito ao carisma de cada um.

Nesse ano de 2018, quando o MCC de Campo Grande comemora seu Jubileu de Ouro (50 anos a Serviço da Evangelização), como um sopro do Espírito Santo, a CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, instituiu o Ano Nacional do Laicato: Cristãos Leigos e Leigas, sujeitos na “Igreja em Saída”, a Serviço do Reino, que nos dá a missão de sermos “Sal da Terra, Luz do Mundo”, pois sem a ação dos leigos não há Igreja em saída, para enfrentar o desafio de anunciar a Boa Nova de Jesus a uma sociedade que está vivendo uma mudança de época.

Mas, temos de ter coragem para, unidos, vencermos esse grande desafio e não deixarmos que nos roubem o Entusiasmo, a Alegria, a Esperança, a Comunidade, o Evangelho e o Amor Fraterno.

Que todos, juntos, irmanados por um mesmo sentimento e um mesmo ideal, possamos dar sempre o grito de Ultreya!!!

Ultreya de “Pra Frente”!

Ultreya de “ Coragem”!

Ultreya de “Esperança”!

Ultreya de “Amizade”!

Ultreya de “Perseverança”!

“Com Cristo, cada vez mais e mais”!

DECOLORES!!!