Erechim (RV) – No ano em que se celebra o centenário das aparições de Maria em Fátima, um espaço mariano ganha obras de revitalização no norte do Rio Grande do Sul. O santuário na cidade de Erechim foi reinaugurado no último final de semana, depois de uma reforma importante no local, com nova arborização, trabalhos na explanada e no prédio antigo, de 60 anos, que exigia melhorias, principalmente, para garantir a segurança dos peregrinos.

Foram cerca de 8 meses de reforma, como explica o Padre Valter Girelli, reitor do Seminário e do Santuário Nossa Senhora de Fátima: “uma obra digna do centenário de Nossa Senhora de Fátima e com o envolvimento de toda uma comunidade para pensar e investir financeiramente na obra”.

As partes internas ganharam nova iluminação, climatização e sistema de som, com a preservação histórica da arquitetura e dos bens do espaço. Já na área externa, além das calçadas e do asfalto refeitos, os fiéis já podem rezar perante uma nova imagem de Nossa Senhora de Fátima. Na parte de arborização, centenas de árvores das espécies de ipês, jacarandás e cerejeiras japonesas foram replantadas.

O projeto arquitetônico procurou priorizar os detalhes de um centro de espiritualidade, já que o santuário promove novenas e mobiliza milhares de devotos, mas também tem se tornado um espaço de lazer, ocupado por famílias inteiras, idosos e jovens. O local fica aberto à comunidade das 5h às 22h.

Pe. Valter Girelli – É um espaço particular, da Igreja, mas nunca se fechou a porta pra ninguém, pra nenhum credo, pra nenhuma opção ideológica. O espaço está aberto a todos para virem descansar e rezar. E uma das belezas daqui é esta: não tem portão, não tem chave, as pessoas vêm e ficam à vontade. E é diferente de uma praça pública, porque é frequentado por famílias que têm consciência de deixar o espaço limpo e organizado. Sempre que escuto o depoimento das pessoas que vêm buscar o espaço para lazer, mas buscam também sempre com uma outra intenção: ‘o espaço do santuário é místico, a gente sente e respira essa áurea religiosa’. Certamente a beleza desse espaço é a dimensão religiosa. Por isso, todos os dias nós temos gente rezando em frente ao monumento, agradecendo, acendendo vela, fazendo a sua devoção, a sua manifestação religiosa.”

Uma celebração presidida pelo bispo, Dom José Gislon, marcou solenemente a reinauguração do santuário no domingo, 20 de agosto. A missa foi concelebrada por dezenas de padres, diáconos, seminaristas e religiosas, e contou com a participação do Coral do Santuário.

A grande motivação da reforma, como relembra o Pe. Girelli, é o centenário das aparições de Maria em Fátima mas, também, uma oportunidade para recuperar a espiritualidade das pessoas que, segundo ele, é a grande crise enfrentada pela humanidade.

Pe. Valter Girelli – Temos que transformar os corações das pessoas. E nesse sentido entra o papel das religiões, das Igrejas, da espiritualidade, da mística, que é algo que recupera essa dimensão dos valores e da dignidade do ser humano, da sacralidade. Colocar no centro o ser humano como imagem e semelhança de Deus, e não colocar aí a busca pelo dinheiro, economia e poder, mas o respeito fundamentalmente do ser humano. E a espiritualidade e a oração têm um papel fundamental nesse processo.”